Curso sobre pragmatismo jurídico na JFPB reúne juristas e demais interessados no tema

05/09/2019 às 18:41

Capacitação, coordenada pela Esmafe/PB, foi realizada nesta quinta-feira (05), no auditório da Seção Judiciária paraibana, em João Pessoa

 

         Magistrados, promotores, procuradores, advogados, estudantes do curso de Direito e demais interessados na abordagem do pragmatismo jurídico estiveram reunidos no edifício-sede da Justiça Federal na Paraíba (JFPB), em João Pessoa, nesta quinta-feira (05), para participar de um curso sobre o tema. O diretor do Foro da JFPB, juiz federal Bruno Teixeira de Paiva, fez a abertura do evento, que foi coordenado pelo também juiz federal Bianor Arruda, diretor da Escola de Magistratura Federal da 5ª Região – Núcleo Paraíba (Esmafe/PB), idealizador da capacitação.

         “Este é um momento de grande importância para quem integra a área jurídica. Discutir a relação entre prática e teoria ajuda no desenvolvimento profissional, contribui para a formação de quem está na academia e leva à reflexão sobre assuntos do nosso dia a dia”, declarou o diretor do Foro. O juiz federal Bianor Arruda reiterou o valor da capacitação. “Ficamos muito satisfeitos com as apresentações dos palestrantes. São profissionais respeitadíssimos e de ampla competência que, com certeza, colaboraram para o sucesso do curso”, disse.   

O PhD em Filosofia, George Browne, falou sobre as implicações epistemológicas e metodológicas direcionadas à Filosofia do Direito; a mestre em ciência política, Flavianne Nóbrega, abordou a aplicação do método pragmático às decisões judiciais; o doutor em Direito, Ricardo de Brito, tratou do método pragmático e o combate à corrupção; o mestre em Direito Privado, Torquato Castro, apresentou a compreensão das relações jurídicas de direito privado; a mestre em Direito, Clarice Von Oertzen Araújo, debateu o voluntarismo judicial.

O diretor da Escola de Magistratura Federal da 5ª Região (Esmafe5), desembargador federal Rogério Fialho, realizou o encerramento do evento, que contou com o apoio das seguintes instituições: Instituto George Browne, Instituto Brasileiro de Estudos Tributários (IBET), Faculdade Damas de Instituição Cristã (FADIC) e Programa de Mestrado em Direito da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

 

Autor: Seção de Comunicação Social da JFPB - imprensa@jfpb.jus.br

 


 Imprimir